Home » Eventos, Notícias, Notícias CAU/RS, Oportunidades » Santa Maria sedia encontro de ensino de paisagismo em cursos de Arquitetura e Urbanismo

Santa Maria sedia encontro de ensino de paisagismo em cursos de Arquitetura e Urbanismo

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Foto: Marcos Marin/TV Campus

A Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) irá sediar o Encontro Nacional de Ensino de Paisagismo em Escolas de Arquitetura e Urbanismo no Brasil em outubro de 2018. O XIV ENEPEA tem como tema Escalas da Paisagem: dos Fragmentos à Reconectividade, que consiste em tratar da problemática, desafios e potencialidades da Arquitetura Paisagística em termos de planejamento, projeto e gestão do Sistema de Espaços Livres e da Paisagem em suas diversas escalas de abordagem. Para aquecer o Encontro, que ocorre de 02 a 06 de outubro, será realizado o XIII Colóquio Quapá-SEL dias 01 e 02 do mesmo mês.

A programação conta com palestras, mesas redondas, apresentação de comunicações, debates, oficinas, visitas técnicas, atividades culturais e concursos de projeto, artigos científicos, fotografia, croquis e pinturas. As três sessões temáticas (listadas a seguir) podem estar permeadas por experiências acadêmicas de ensino, pesquisa e extensão (conceitos, teorias, processos e metodologias) assim como por experiências desenvolvidas no âmbito da prática profissional em paisagismo.

Clique aqui para acessar o site do XIV ENEPEA e conferir a programação, inscrições, chamada de trabalhos e outras informações.

Sessões temáticas

ST1 – ESTRATÉGIAS E PROJETOS PARA ESPAÇOS DE TRANSIÇÃO

Este eixo temático visa compreender as possíveis e potenciais interfaces e/ou “sobras espaciais” na cidade e na região como um ponto fundamental de discussão que impõe novas regras de análise e ação: relações entre urbano e rural; periferia; periurbano e rururbano; fronteiras, bordas e limites entre a cidade formal e informal, entre o natural e o construído; entendimento e proposição para áreas com potencial de utilização bem como de produção e serviços (vazios urbanos, friches industrielles; friches urbaines, brownfields, áreas agrícolas/propriedades rurais, urbanismo produtivo – hortas/pomares comunitários, turismo, sítios da união).

ST2 – MULTIFUNCIONALIDADE DA PAISAGEM E DOS USOS E ATIVIDADES NOS ESPAÇOS LIVRES

Este eixo temático visa abordar as relações de funcionalidade, conectividade, planejamento e projeto de unidades e subunidades da paisagem, estruturas da paisagem (redes, matrizes, corredores, manchas e fragmentos) e espaços livres intraurbanos de lazer e recreação (unidades de conservação, parques, praças, ruas, calçadões, largos, balneários, praias etc.). Através da conexão entre as diversas escalas possibilita-se a conservação dos recursos naturais, a valorização das matrizes naturais, minimizando a fragmentação das mesmas pelo fomento à criação de redes ecológicas e corredores (verdes, azuis, amarelos e cinzas) e, ainda, a potencialização das redes e trocas sociais, vinculando as funções múltiplas destes espaços a usos ativos e/ou passivos, ecológicos, recreacionais, culturais, sociais, estéticos, paisagísticos e educativos. Sobreposição de padrões de usos e atividades previstas ou permanentes junto a ações de apropriação temporárias, valorizando os laços e as diferenças socioculturais. Relação entre presevação da biodiversidade com as demandas de crescimento urbano e regional, densificação e usos (mobilidade, acessibilidade, percepção e preferências socioculturais).

ST3 – PATRIMÔNIO PAISAGÍSTICO: TEORIA, HISTÓRIA E PRÁTICAS DE INTERVENÇÃO NA PAISAGEM E NOS ESPAÇOS PÚBLICOS

Este eixo temático pretende discutir a valorização da memória e das identidades locais e regionais por meio da história e da preservação patrimonial paisagística de paisagens e espaços públicos tombados e/ou com potencial de conservação. Elencar bases conceituais e metodológicas para a caracterização das paisagens e dos espaços públicos de forma a identificar os valores (ecológico, paisagístico, ambiental, cultural e social) e os modos de proteção (manutenção, conservação, restauração e reconstituição). Promover diretrizes para a proteção, gestão e ordenação via catálogos/cartas patrimoniais, políticas de paisagem, planos diretores e/ou legislação específica. Valorizar as dimensões histórica e cultural, bem como o potencial educador na gestão da paisagem e dos espaços públicos. Referências conceituais e técnicas projetuais de intervenção contemporâneas bem sucedidas relacionadas ao patrimônio paisagístico de modo a garantir a valorização e o reconhecimento histórico, artístico e ecológico.

O Encontro conta com a organização geral dos cursos de Arquitetura e Urbanismo da UFSM (Campus Santa Maria e Cachoeira do Sul), do Programa de Pós-graduação em Arquitetura, Urbanismo e Paisagismo (PPGAUP-CAU-UFSM) e do Laboratório de Paisagismo e Arquitetura (PARQ).

  • Pin It


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos marcados com * são obrigatórios.

*