Home » Notícias » Destaques, Eventos, Notícias, Notícias CAU/RS » Equidade de gênero e política urbana pautam o Ciclo de Debates do CAU/RS

Equidade de gênero e política urbana pautam o Ciclo de Debates do CAU/RS

Evento elencou as conquistas e os desafios para cidades mais inclusivas para as mulheres.

O que faz uma cidade ser segura? Quais são as medidas necessárias para garantir que mulheres possam se deslocar no dia a dia, sem medo? O que pode ser celebrado como conquista e quais os principais desafios que ainda temos pela frente quando o assunto é gênero e política urbana?

Essas foram algumas das perguntas que o Ciclo de Debates – Cidades Inclusivas para as Mulheres tentou responder. O evento, promovido pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU/RS), por meio da Comissão Temporária de Equidade de Gênero (CTEG), e pelo CAU/BR, com apoio da Comissão de Desenvolvimento Urbano, da Secretaria de Mulheres da Câmara dos Deputados e do Colegiado das Entidades Nacionais de Arquitetura e Urbanismo, aconteceu na última quinta-feira (30/01), no Palácio da Justiça, em Porto Alegre.

O Ciclo já foi realizado em Florianópolis (SC), Salvador (BA) e ocorrerá em Sergipe, Fortaleza, Rio de Janeiro, São Paulo e Campo Grande até março. “O Ciclo de Debates é a ferramenta que temos para abrir o diálogo e coletar as informações que construirão nossas políticas”, afirmou a presidente do CAU/SC, Daniela Sarmento, na ocasião representando a Comissão de Equidade de Gênero do CAU/BR.

Em Porto Alegre, o Ciclo teve duas mesas temáticas – Mulher na Política Urbana e Mulher na Cidade – e uma palestra com Márcia Lucena, prefeita da cidade de Conde (PB).

Na mesa de abertura, o presidente do CAU/RS, Tiago Holzmann da Silva, destacou o fato de 2/3 dos profissionais de Arquitetura e Urbanismo serem mulheres, mas a liderança feminina não se reflete nos espaços profissionais. “Nossa profissão precisa ser efetivamente representada”, frisou. Para a conselheira do CAU/RS e coordenadora da Comissão Temporária de Equidade de Gênero do Conselho gaúcho, Roberta Edelweiss, é necessária empatia para construir uma sociedade mais equânime. “A comissão está trabalhando para dentro, voltada aos profissionais da categoria, e para fora, ou seja, cuidando o que está sendo entregue para todos”, afirmou.

Também participaram da mesa de abertura Clarice Oliveira, integrante do Conselho Diretor do IAB RS; Ana Paula Schirmer dos Santos, Vice-Diretora Secretária do Saergs; Gislaine Saibro, presidente da AAI Brasil, RS; e Francieli Schallenberger, diretora da FeNEA.

Inovação, representatividade e coragem

A primeira mesa do evento, sob o tema Mulher na Política Urbana, reuniu Fernanda Melchiona, Deputada Federal; Leany Lemos, Secretária Estadual de Planejamento; Tânia Terezinha da Silva, Prefeita de Dois Irmãos; e Alessandra Quines Cruz, Defensora Pública. Mediadas por Daniela Sarmento, cada uma das integrantes compartilhou o trabalho que realizam e a representatividade feminina nas esferas em que atuam, assim como o enfrentamento ao machismo no ambiente de trabalho (e na vida) de todas. “Sejamos todas feministas e ouçamos pequenos atos machistas que presenciamos no dia a dia, para nos colocarmos contra eles”, declarou Alessandra Quines Cruz.

A segunda mesa de debates, Mulher na Cidade, na parte da tarde, foi o momento de conhecer na prática o trabalho realizado por mulheres e para mulheres, com foco na vida nas cidades. Priscila Gama, arquiteta e urbanista do CAU/MG, apresentou o aplicativo Malalai, desenvolvido para que mulheres indiquem caminhos seguros ou identifiquem pontos de risco nas cidades onde moram. Amanda Kamanchek, da ONG Think Olga, compartilhou o trabalho realizado pela organização, como o documentário “Chega de Fiu Fiu” e outras iniciativas criadas pela ONG em combate ao assédio. Lívia Alen, do Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (UNOPS | ONU Brasil), apresentou as premissas básicas que guiam a UNOPS e trabalhos realizados com foco no desenvolvimento e qualidade de vida em diferentes localidades mundiais. Nana Sanches, da Mirabal, trouxe estatísticas relacionadas à violência contra a mulher e o trabalho realizado pela Casa de Referência para abrigar mulheres e crianças em situação de vulnerabilidade social.

Para encerrar o evento com chave de ouro, Márcia Lucena, prefeita municipal Conde, na Paraíba, realizou uma palestra sobre as conquistas obtidas em relação ao gênero, sobretudo em uma das cidades que já foi considerada uma das mais violentas no país. Ao relatar os avanços na educação, no saneamento e na segurança municipal, Márcia alertou para a importância da união entre mulheres. “Não há coletivo se não estivermos juntas e conscientes.” Antes de finalizar, destacou a importância de arquitetos e urbanistas para garantir cidades melhores para todos. “Estou apaixonada pelo trabalho de vocês!”

Márcia Lucena, prefeita da cidade de Conde (PB)

Saiba mais

O Ciclo de Debates “Mulheres na Arquitetura – Cidades Inclusivas para Mulheres”, promovido pelo CAU/BR, é um preparatório para o 27º Congresso Mundial de Arquitetos (UIA2020RIO), realizado neste ano no Rio de Janeiro (RJ).

A CTEG do CAU/RS é formada pelas arquitetas e urbanistas Roberta Edelweiss (conselheira do CAU/RS e coordenadora), Marisa Potter (conselheira do CAU/RS), Paula Motta (coletivo Turba), Cláudia Fávaro (especialista em Gestão Estratégica do Território Urbano) e pela fundadora da ONG Mulher em Construção, Bia Kern.

Confira a galeria de fotos no Facebook!

 

  • Pin It


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos marcados com * são obrigatórios.

*