Home » Notícias » Destaques, Notícias, Notícias CAU/RS » AsBEA-RS: É tempo de projetar

AsBEA-RS: É tempo de projetar

Print Friendly, PDF & Email

Em recente carta divulgada em apoio aos arquitetos e urbanistas, a Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA-RS) afirma que este é o “momento de projetar”. Atenta ao enfrentamento da pandemia provocada pelo novo coronavírus (COVID-19), a AsBEA-RS destaca a importância de os profissionais se debruçarem sobre a etapa de projetos, que correspondem de 3% a 5% do valor da obra e os quais podem ser executados em casa, respeitando as regras da quarentena por qual passa o país.

 

Leia o documento na íntegra:

É TEMPO DE PROJETAR

A pandemia do coronavírus deve trazer, além da crise médica e hospitalar, uma grave crise econômica. Estão sendo tomadas decisões que impactam fortemente a sociedade, como o isolamento social/quarentena e restrição das atividades comerciais. Estas decisões, tomadas por políticos e técnicos da área da Saúde, levam a resultados difíceis de prever, com pontos positivos e negativos. Esse manifesto não quer entrar no mérito do tempo e do alcance dessas medidas, mas sim propor que utilizemos esse período para refletir sobre o futuro que nos espera.

 

PLANEJAR PARA EXECUTAR

O que podemos propor, e possuímos autoridade técnica para isso, é que aproveitemos esse período de pausa para, mais do que nunca, pensar no futuro, projetar agora para melhor construir depois. Assim, a partir do instante que essa turbulência passar, e vai passar, as obras terão condições de voltar imediatamente. Obras públicas e privadas, que geram emprego. As obras têm a capacidade de absorver qualquer mão de obra, desde que haja disposição física, de forma imediata, e isto será fundamental para retomada da economia.

 

OS PROJETOS DEVEM CONTINUAR

Para que as obras tenham condições de voltar assim que possível, e de forma mais eficiente, os projetos não podem parar. A etapa de projetos precisa continuar, ser adaptada, compatibilizada, planejada e aprovada antes do início/retomada das obras. Os projetos correspondem de 3% a 5% do valor da obra e podem ser executados na modalidade home-office. Os projetos prontos são essenciais para o início das obras a todo o vapor. É impensável que enquanto país, governo, entidades e cidadãos tenhamos como obstáculo dessa retomada da economia a falta de projetos ou de aprovação. Todos no setor da construção podem e devem fazer sua parte para minimizar os efeitos negativos da quarentena na nossa economia, e nós da AsBEA estamos abertos para apoiar os profissionais neste sentido.

 

É tempo de refletir, de replanejar.

É tempo de projetar.

Contamos com o apoio de vocês!

 

 

  • Pin It


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos marcados com * são obrigatórios.

*