Home » Notícias, Notícias CAU/RS » As cidades e a reconstrução da democracia

As cidades e a reconstrução da democracia

Ermínia Maricato fala sobre o papel dos arquitetos e urbanistas no combate à desigualdade no país.

“Temos uma tradição de alienação da realidade; escravistas e liberais ao mesmo tempo.” A palestra de Ermínia Maricato foi um acontecimento à parte do 21º Congresso Brasileiro de Arquitetos, ainda que arquiteta e urbanista, professora, pesquisadora e ativista tenha sido convidada para abrir oficialmente o evento, sediado em Porto Alegre no mês de outubro.

Diante do público presente no Auditório Araújo Vianna, Ermínia foi enfática ao trazer dados sobre a desigualdade social, territorial e racial no Brasil: “é abissal”. Recordando os mais de 300 anos como colônia portuguesa e quase 400 anos de escravidão que pertencem à história do Brasil, a arquiteta e urbanista declarou: “isso faz o DNA deu uma nação”.

Apoiada sob uma densa pesquisa, ela falou sobre o período de forte industrialização (1940-1980) e desindustrialização (após a década de 1980) do país, chegando ao índice de população urbana brasileira: 84,4% em 2017 ante 9,4% em 1900. “A cidade no Brasil é algo sobre a qual as instituições não perceberam a rapidez da mudança, e essa mudança tem tudo a ver conosco – arquitetos e urbanistas”.

Com leveza e bom-humor, mas sem abrir mão da seriedade, Ermínia apresentou os “vários Brasis” e a situação de invisibilidade de boa parte da população nas metrópoles. Desdobrando a importância do Orçamento Participativo (OP), da Assistência Técnica (ATHIS), dos Centros Integrados de Educação Pública (CIEPs) e da urbanização de áreas precárias, a paulistana destacou: “nada é mais importante que discutir para onde e como vamos investir o dinheiro público”. E é neste momento, segundo a palestrante, que entra o protagonismo dos arquitetos e urbanistas. “Precisamos de competência para executar. O Brasil e as cidades precisam do nosso trabalho e temos que disputar o espaço na sociedade, ou ninguém vai reconhecer o nosso valor. Não acredito na reconstrução da democracia sem passar pelas cidades”, encerrou, aplaudida em pé.

Quem é Ermínia Maricato?

Professora aposentada da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP), Ermínia Maricato foi Secretária de Habitação e Desenvolvimento Urbano da cidade de São Paulo (1989-1992) e Secretária Executiva do Ministério das Cidades (2003- 2005). Fundou o Laboratório de Habitação e Assentamentos Humanos (LABHAB) da FAU-USP (1997), coordenou o Curso de Pós-Graduação da Faculdade e integrou o Conselho de Pesquisa da Universidade. Como ativista política, foi escolhida para defender a proposta de Reforma Urbana de iniciativa popular junto à Assembleia Constituinte do Brasil (1988).

 

  • Pin It


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos marcados com * são obrigatórios.

*